Deputados afirmam que agora governo do Estado começa a admitir crise

30/08/2012 – 08h36min – Atualizado em 30/08/2012 – 08h36min

Da reportagem do Tudorondonia

Porto Velho, Rondônia – Em um áspero discurso no plenário da Assembleia Legislativa, o deputado Neodi Carlos (PSDC-Machadinho do Oeste) afirmou que assessores do governador Confúcio Moura (PMDB) passam informações desencontradas, principalmente quando enviam mensagens de suplementação orçamentária.

O pedido de suplementação acontece quando o governo arrecada mais do que o previsto. Neodi afirmou que os assessores do governador precisam explicar onde está sendo arrecadado mais. O parlamentar afirmou, ainda, que falta planejamento no governo.

Outros deputados se pronunciaram, afirmando que agora os assessores do governador estão admitindo o que a Assembleia Legislativa anuncia há meses: o Executivo passa por sérios problemas financeiros.

De acordo com a mensagem encaminhada pelo governo à Assembleia, no último mês de julho a queda da receita estadual foi grande. Ainda segundo o Executivo, a arrecadação no setor de combustíveis caiu 24,7%, na pecuária 21%,no comércio 18,9%, diferencial de alíquota 10% e agricultura 5%.

Ainda de acordo com a mensagem do governo, nos meses de junho e julho e nos dez primeiros dias de agosto, o Estado perdeu R$ 90 milhões em receitas, somadas às perdas das receitas próprias (R$ 48 milhões) e de transferências (42 milhões). Isso ocorreu devido à redução do IPI por parte do Governo Federal e à devolução recorde da restituição do Imposto de Renda.O deputado Jean Oliveira (PSDB-Porto Velho) lembrou que sempre vão à Assembleia Legislativa assessores diferentes do governador. “Eu gostaria que viessem aqui aqueles que disseram há alguns dias que estava tudo bem com as finanças do Estado”, afirmou.O presidente da Assembleia, deputado Hermínio Coelho (PSD-Porto Velho), disse há mais de dois meses que estava havendo uma crise financeira no governo. Ele alertou para o risco de atrasar salários, caso o problema não seja resolvido.
 

Publicado em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.