Auditores denunciam ações que beneficiam sonegadores

Vilhena, Rondônia – Dois auditores que atuam no Posto Fiscal da Secretaria de Finanças do Estado  em Vilhena, na divisa de Rondônia com o Mato Grosso, procuraram a redação do FOLHA DO SUL ON LINE para fazer uma denúncia grave: o Estado está há um ano perdendo arrecadação porque os auxiliares de pátio (chapas) deixaram de ser contratados para vistoriar as cargas que entram em Rondônia. 



Sem os operários que descarregam os caminhões para verificar se as mercadorias transportadas são as mesmas descritas nas notas fiscais, há empresas que passam livremente pela barreira e conseguem sonegar os tributos. 



Recentemente, para mostrar a falha na fiscalização, um empresário de Rolim de Moura passou no posto da Sefin com uma carreta lotada de feijão, tributada em 12%, mas tinha nota fiscal de milho, que é isento. O próprio cerealista fez a denúncia para mostrar que é prejudicado por concorrentes que burlam a fiscalização deficiente. 



OLHA A COINCIDÊNCIA! 
Os auditores, que pediram para ter seus nomes preservados para evitar eventuais retaliações, também revelaram o que causa espanto: um decreto que permitia a retenção de mercadores irregulares foi revogado da noite para o dia pelo governador Confúcio Moura (PMDB). Com isso, após comprovada a suspeita de fraude, os fiscais devem apenas fazer um auto de infração. 



Os auditores dizem que todos os Estados do país, bem como a própria Receita Federal, adotam esse procedimento, que com a mudança passa a beneficiar os sonegadores. Entre as grandes empresas que passam pela barreira de fiscalização está a Eucatur, do senador Acir Gurgacz (PDT), um dos principais aliados de Confúcio. 





Fonte: Folha do Sul Online 

Postado por: Dimas Ferreira

Publicado em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.