Armando Monteiro comemora aprovação de limites à substituição tributária

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) comemorou a aprovação de projeto que define lista de setores e produtos em que os governos dos estados poderão aplicar o mecanismo da substituição tributária. O objetivo, explicou, é limitar o uso indiscriminado desse mecanismo pelos estados, que, inclusive, já tem prejudicado as pequenas empresas.

A substituição tributária é o mecanismo pelo qual o governo cobra do primeiro ou do último elo da cadeia produtiva todo o ICMS. Só que esse mecanismo pode anular os benefícios do Simples Nacional, por exemplo, se as micro e pequenas empresas forem as responsáveis pelo recolhimento de todo o tributo. Ele explicou que esses estabelecimentos, por causa do pagamento antecipado de todo o imposto, poderão ficar sem capital de giro para cumprir suas obrigações, sejam trabalhistas ou empresariais.



Armando Monteiro alertou ainda que o uso indiscriminado do mecanismo prejudica os consumidores, que chegam a pagar 5% a mais no valor de produtos por causa da substituição tributária.



– O Senado deu uma contribuição efetiva para que se corrija uma distorsão em que a voragem fiscal dos estados termina, na prática, por anular a conquista de algo que representa um marco muito importante e que se destinava, inclusive, a dar materialidade a esse comando constitucional que nos impõe o caminho de oferecer um tratamento diferenciado às micro e pequenas empresas – disse o senador.

Publicado em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.