Secretários de Confúcio contrariam a matemática e dizem que a arrecadação não está bem

Atualizado em 20/08/2012 – 09h50min
Da reportagem do Tudorondônia

Porto Velho, Rondônia – Apesar de os números mostrarem que a arrecadação não caiu em Rondônia e que até o meio deste ano entraram nos cofres públicos mais de R$ 3 bilhões, assessores do governador Confúcio Moura (PMDB) insistem em dizer que a situação financeira do Estado está mal.

A situação chegou a tal ponto que o chefe da Casa Civil, Juscelino Moraes do Amaral, apresentou ao Tribunal de Justiça uma explanação que preocupou o presidente do Judiciário, desembargador Roosevelt de Queiroz.Ficou claro, pela explanação de Juscelino Amaral, que o Estado passa por sérios problemas com a arrecadação.

É verdade também que há alguns meses o presidente da Assembleia Legislativa, Hermínio Coelho (PSD-Porto Velho) , disse que o governo tinha problemas com a arrecadação e os auxiliares de Confúcio trataram de desmentir o deputado.Agora, o estado maior de Confúcio começa a percorrer os demais Poderes pedindo ajuda, dizendo que a fonte arrecadadora é uma só e que haverá problemas se não houver cooperação.

Ocorre que os assessores de Confúcio estão tentando contrariar a matemática. Ao contrário do que dizem, a arrecadação não caiu. Na última semana foi aprovada pela Assembleia Legislativa uma suplementação orçamentária de R$ 35 milhões. Isso quer dizer que o governo arrecadou mais do que o previsto e estava tratando de gastar o excedente.O governo como um todo pode gastar até 60% com a folha de pagamento, mas atualmente não chega aos 52%. Isso quer dizer que está economizando com salários.

As atitudes dos secretários mostram que a Assembleia Legislativa estava correta ao alertar que o governo está mal das pernas, apesar de os assessores terem negado essa afirmação há alguns meses.Agora, diversos deputados já disseram em plenário que o problema não é com a arrecadação, que está bem, e sim com a competência dos assessores do governador, que não estaria nada bem, segundo eles.De acordo com o que dizem os deputados, os assessores do governador não sabem planejar direito. Os parlamentares afirmam que agora querem saber no que o governo está gastando tanto dinheiro, já que não está nem mesmo conseguindo pagar os fornecedores em dia. A arrecadação, como mostram os números, não caiu. O orçamento para este ano é de R$ 6 bilhões. Até o meio do ano foram arrecadados R$ 3 bilhões. A matemática diz isso, mas os assessores do governador dizem outra coisa.
 

Publicado em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.