SINTEC DEBATE COM FILIADOS MELHORIA NO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO DO ESTADO

A diretoria do Sintec-RO esteve reunida na manhã de sábado (28/07) com os delegados sindicais na sala de reunião do Cacoal Palace Hotel no município de Cacoal para debater e ao final fechar uma proposta para tornar mais eficiente o sistema de arrecadação do Estado, a qual será encaminhada nos próximos dias ao Secretário de Finanças e ao Chefe da Casa Civil do Estado de Rondônia.

É sabido que as finanças do Estado não estão boas. A crise econômica mundial já chegou ao Brasil e a “marolinha” já atingiu Rondônia.  A diminuição do repasse do FPE (Fundo de Participação dos Estados), o inchaço na folha de pagamento, as dívidas deixadas pelo governo anterior, o excesso de diárias, dentre outros desperdícios, vêm causando o desequilíbrio nas contas públicas do Estado.
 

Para se entender melhor essa situação, explicamos: para que o governo honre os compromissos de repasses para os poderes, liberação de emendas parlamentares, manter a máquina pública em pleno funcionamento e realizar os investimentos necessários a bem da população na área de educação, segurança, saúde e outras, o governo estadual depende financeiramente dos recursos do FPE, de convênios e da receita própria. No momento em que o Brasil passa por dificuldades econômicas, o os repasses do governo federal diminuem, resta ao Estado contar cada vez mais com o incremento da receita própria.
 

Durante as duas ultimas semanas, filiados de todo o Estado enviaram à diretoria do Sintec-RO sugestões de atividades que, caso implementadas pelo governo, farão com que o Estado aumente sua receita.
 

O Sintec-RO se comprometeu com o Secretário Chefe da Casa Civil, Dr. Juscelino Amaral e com o Secretário de Finanças, Benedito Antônio Alves, quando em reunião da Sala de Situação no dia (06/07), de apresentar um estudo com alternativas que viabilizassem o aumento da arrecadação.
 

“Com essa atitude estamos provando que queremos ajudar o Estado a encontrar o rumo certo, dando condições para uma administração mais tranquila, sem muitas turbulências, e sem o risco de que um dia venha a atrasar o pagamento dos salários dos servidores, de fornecedores, dentre outros. A carreira TAF, formado por Técnicos Tributários, Auxiliares de Serviços Fiscais e Auditores fiscais, deve trabalhar de forma unida, cooperando com os gestores para que as decisões tomadas consigam alcançar o objetivo maior da Sefin, que é o de trazer recursos aos cofres públicos”, declarou o presidente do Sintec-RO: Joy Luiz Monteiro.

Publicado em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.