Sintec inicia campanha salarial 2009 e já aparecem as primeiras dificuldades

NOTA DE ESCLARECIMENTO
O presidente do Sindicato dos Técnicos Tributários do Estado de Rondônia – SINTEC-RO, vem diante de seus filiados e a quem possa interessar através da presente Nota, esclarecer os fatos que tem envolvido o nome desta instituição sindical e de seu presidente, quanto aos boatos que circularam na manhã desta quarta-feira (22/07) no recinto da Coordenadoria da Receita Estadual, que já chegaram ao conhecimento de colegas residentes no interior do Estado.
Comenta-se que o presidente do Sintec, tendo participado da reunião entre as entidades sindicais dos servidores do Estado de Rondônia e o Governador do Estado, Sr. Ivo Cassol, ocorrida no seu gabinete na tarde do dia 21/07, manifestou-se na ocasião difamando e ofendendo a classe dos auditores fiscais, dizendo que “os auditores fiscais não trabalham e por isso a arrecadação não aumenta, e que os autos de infração improcedentes tem sido feitos exclusivamente para o fechamento de pontos da produtividade, mesmo sendo atos lesivos ao erário público”.
Declaro que se trata de uma grande inverdade produzida por mentes férteis, porém maléficas e sórdidas, que tem como único interesse o de fomentar discórdia entre as classes, preferindo distorcer nossas palavras do que esclarecer a verdadeira razão da proposta discutida com o Sr. Governador.
Estas pessoas deveriam, sim, ter participado da reunião oferecendo sugestão e proposta inteligente para equacionar o pleito dos servidores e as dificuldades apresentadas pelo Governo para atendê-las, mas pela sua pouca razão e exígua inteligência preferiram concluir o que o seu pequeno raciocínio é capaz e ver aquilo que não existiu.
No tocante a nossa participação, que embora tenha durado pouco tempo, dentre o que foi discutido, buscamos apresentar sugestões para que as reivindicações dos Sindicatos fossem atendidas, assim como o Governador apresentou sua proposta para amenizar o problema orçamentário do Iperon. Nesse momento, o Governador demonstrou conhecer algumas práticas decorrentes de ações funcionais que têm causado problemas às finanças do Estado, que deveriam ser punidas como crimes contra o patrimônio público.
Estivemos na reunião para defender os interesses dos Técnicos Tributários e Auxiliares de Serviços Fiscais, que para isso foi constituído o Sintec, motivo pelo qual não sou autorizado pelo Estatuto Social a defender outras categorias em que seus representantes não se fazem presentes no momento em que o Governador tece críticas a atos improfissionais por parte de alguns de seus representados, lesivos à Administração. Quem esteve presente ouviu! Acredito que isso foi o que gerou esses comentários maldosos sobre a minha pessoa, contudo, não entendo justo pessoas que sequer participaram da reunião espalhar esses comentários a meu respeito, pelo simples fato de eu ter se omitido a comentar as declarações do Governador, atitude esta que tomei justamente para não causar mal entendidos, e infelizmente mesmo assim isso aconteceu.
Em respeito a ausência de outros representantes sindicais na reunião, e por não ser de nossa índole, não aproveitamos a ocasião para atacar ou denegrir quem quer que seja; procuramos sim defender os interesses dos Técnicos Tributários e Auxiliares de Serviços Fiscais, como o direito de exercer nossas funções, quando pedimos ao Sr. Governador para regulamentar a Lei 2060/2008, fazer concurso para admissão de Técnicos Tributários e designar à classe a efetivação das tarefas que já são nossas, mas que estamos impedidas de realizar por decisões incompreendidas da administração da Coordenadoria da Receita Estadual, tarefas essas que afirmamos poder contribuir para colocar dinheiro no caixa do Estado, pois entendemos que muito ainda se pode fazer para aumentar a arrecadação com os trabalhos que podem ser exercidos pelos servidores. O Sr. Governador esclareceu que o concurso para auditores fiscais será realizado conforme o planejado, pois a Administração da SEFIN havia repassado a ele a necessidade de contratação de Auditores Fiscais, e o processo já esta concluído, com o edital na iminência da publicação. Contudo, já autorizou a Sefin iniciar os trabalhos para que em curto espaço de tempo seja feito também concurso para recompor o quadro de Técnicos Tributários.  
               Durante os 15 meses à frente do Sintec, sempre adotamos a política da boa vizinhança, procurando o diÁlogo para manter um relacionamento saudável com as demais instituições e pessoas, e às vezes não temos a mesma reciprocidade. Temos sido muito atacados, e na medida do possível temos nos defendido. Tomamos conhecimento de que alguns auditores fiscais estiveram no gabinete de um conceituado Deputado Estadual para difamar os técnicos tributários, dizendo que somos incompetentes e não qualificados, manifestando contra a então aprovada Lei 2060/2008. Até isso procuramos relevar, por se tratar de ato de insanidade e desespero, e o fato é que a Lei foi sancionada. Poderíamos aqui citar outros ataques que sofremos, mas não o faremos.
               A nossa participação na reunião foi muito curta para gerar tanta especulação e motivos para invenções, mesmo pelo fato de não termos esta postura. Infelizmente não sabemos exatamente quais pessoas de pouco caráter e intelecto que se propõe a aumentar os fatos para intencionalmente gerar discórdia. Às vezes nos perguntamos: “O que tem por traz desta atitude e o que uma pessoa dessas pode ganhar?” Lamentamos alguém se propor a tão mesquinho papel de fazer fofoca com inverdades. Em nenhum momento tivemos a intenção de difamar e denegrir a imagem de quem quer que seja. Não precisamos falar mal dos outros para nos promover, utilizamos nosso tempo para falar bem de nós mesmos, das nossas capacidades, qualidades, competências, disponibilidade e vontade de exercer nossas funções, embora tenhamos nos últimos tempos sido desvalorizados, desprestigiados, ofendidos, denegridos e difamados, a fim de desmoralizar nossa classe, mas nem por isso adotamos a medida de atacar, apenas a de nos defender.
No decorrer dos anos temos cultivado a amizade com muitos auditores fiscais e demais colegas, e jamais tomaremos quaisquer atitudes para desmerecê-los, afinal, são nossos parceiros de trabalho, e assim como nós, lutam por melhores salários e condições de trabalho, e em sua maioria não são culpados por atos isolados de alguns, que sabemos não representar o pensamento da maioria. Além disso, erros profissionais acontecem em todas as categorias profissionais, mas não são regra, são exceção à maioria que trabalha e produz para o incremento das receitas devidas ao erário público.
Nós do Sintec vamos continuar nossa luta, em defender e buscar ser atendidos os interesses de nossa classe, sem que para isso necessitemos pisar nos outros. Assim, esperamos dos colegas que acreditem em nosso nome e trabalho, bem como faremos de tudo para não decepcioná-los.
No momento, externamos aos colegas auditores fiscais o nosso apoio, contando que podemos desenvolver nossas funções com respeito mútuo, é o que desejamos, lutamos e esperamos que em breve aconteça.
 
Joy Luiz Monteiro da Silva
Presidente do SINTEC-RO
Publicado em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.